CICLISTA MORRE FAZENDO TRILHA NO ALTIPLANO

Infelizmente na manhã do domingo (28/06/20) mais um ciclista morreu decorrente de um mal súbito. Ele fazia trilha na região do Altiplano Leste no Distrito Federal.

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) atendeu a ocorrência e de acordo com informações da corporação, o atendimento ocorreu às 10h22 deste domingo. O ciclista, identificado como Rafael dos Santos Almeida, de 39 anos do grupo CAÇA PEDAL – Samambaia DF, foi socorrido. Entretanto, não resistiu e teve o óbito declarado no local.

“Ele reclamou de falta de ar e dores no peito com uns 15 km de trilha e após uma subida, ainda assim terminou a subida, foi quando passou mal” – declarou o amigo

O cardiologista Dr. Luiz Pereira de Magalhães conta que, Morte Súbita Cardíaca, conhecida há muito tempo, ainda gera espanto, repercute na mídia e suscita muitas dúvidas, principalmente quando ocorre com os que praticam esportes. “Observamos um aumento de casos onde as vítimas são atletas, aparentemente saudáveis e praticantes de atividades físicas. Não é a prática do esporte que tem causado morte, mas a ausência de exames preliminares que poderiam diagnosticar e evitar a morte súbita, sobretudo entre os mais jovens”.


Nos últimos meses, diversos casos de morte súbita têm sido relatados, muitos deles envolvendo “atletas”. Existem arritmias cardíacas assintomáticas, que precisam de uma investigação mais apurada e, por outro lado, um grupo de maior risco, composto por pessoas que já tiveram infarto ou são portadoras de doenças cardiovasculares. “A prevenção é muito importante, especialmente a realização de consultas regulares com cardiologista e especialistas da área, como arritmologistas e eletrofisiologistas”.

No Brasil, de acordo com dados obtidos pelo Ministério da Saúde, são aproximadamente 300 mil casos decorrentes de algum tipo de arritmia cardíaca por ano. Isso representa quase 1000 óbitos por dia.

”Dr. Luiz Pereira de Magalhães, cardiologista. Graduado em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (1989). Habilitado em Eletrofisiologia pela Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas, em 1994.”

Por: Junim10B – Programa Na Trilha Certa.
Fotos: Abelino Araújo e CBMDF @ Altiplano Leste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat